Criada rede de IP dedicada para acabar com os LAGs nos games

Criada rede de IP dedicada para acabar com os LAGs nos games

 

Anúncio foi feito durante coletiva virtual no dia 26 de agosto

Aquela sensação de que ia matar o oponente e só então descobrir que morreu antes, bastante comum para quem joga online, deve acabar para os gamers brasileiros. Esta a promessa da multinacional de Telecom Angola Cables, que opera cabos submarinos de fibra óptica entre Brasil, África e Estados Unidos e Data Centers no Brasil e em Angola, e que acaba de anunciar um produto que pode representar um avanço sem precedentes para os usuários de jogos eletrônicos online no Brasil.

Trata-se de uma rede de IP dedicada que, por meio de algoritmos, identifica, em tempo real, a melhor rota entre o local onde o gamer se encontra e o provedor onde o gamer está hospedado. E assim, oferece prioridade de tráfego, o que significa latências absurdamente baixas, praticamente eliminando a LAG.

Apenas para se ter uma ideia, as latências “normais” existentes nas conexões mais antigas, eram superiores a 300 milissegundos; e com esta nova rede de IP da Angola Cables, chega a ser em torno de 30 milissegundos, ou seja, muito mais rápido do que um piscar de olhos. Também é inferior à latência “normal” entre Brasil e África, de 63 milisseguntos pelo cabo SACS d aAngola Cables, mas este é um assunto para outro texto.

Voltando aos games, significa que os jogadores brasileiros terão agora igualdade de condições quando acessarem plataformas em qualquer lugar do planeta como Sony, Xbox, RIOT, Valve, Tencent, Highwinds, Blizzard, e poderão competir com melhor qualidade de ligação, ou seja, melhor ping, latência mais baixa, aumentando suas chances de sucesso contra jogadores de outras partes do mundo.

Mas, o IP_Gamer, como é chamado pela Angola Cables, é um  produto B2B que precisa ser contratado pelo provedor que atende plataformas de games, ou seja, as vantagens que oferece como ligações prioritárias e diretas (peering/PNI) para os principais servidores de gaming (gaming nodes) na Europa, na América do Norte e na Ásia, além de uma redução significativa de latência, serão percebidas apenas para o usuário final cujos provedores de internet estiverem conectados diretamente à rede da Angola Cables, o quais conseguirão jogar sem atrasos na conectividade, resultando em uma melhor experiência geral de jogo.

Os Provedores de Internet poderão incorporar o IP_Gamer no seu portfólio de produtos e capitalizar as vantagens desta solução para fidelizar o consumidor final e atrair novos clientes. Mas, os gamers precisarão pedir este serviços para suas provedoras de internet.

“Este novo serviço resulta de muitas horas de pesquisa e desenvolvimento, um trabalho apurado de engenharia para garantir uma solução única, de baixa latência, robusta e segura, de forma a encontrar vantagens tanto para o Provedor  de Internet como para o Gamer, cujo resultado geral vai impulsionar ainda mais o mercado de games na região. Acreditamos também que este novo e inovador produto vai valorizar o mercado de Cloud Gaming, o acesso a máquinas virtuais e ainda estimular o crescimento dos e-Sports como oportunidades de renda para desenvolvedores brasileiros, influenciadores digitais e muitas outras empresas e entidades que compõem o ecossistema de jogos”, explicou António Nunes, CEO Global da Angola Cables, em uma live realizada no dia 26 de agosto para jornalistas brasileiros.

“Apesar de ser um produto corporativo, destinado aos ISPs (Provedores de Serviços de Internet), o objetivo da Angola Cables é apresentar esta opção de alto valor agregado para os usuários de jogos online, pois se trata de um serviço premium que nos diferencia dentro de um segmento que está se tornando commodity”, explicou António Nunes.

O mercado de games movimentou, em todo o mundo, cerca de US$ 152.1 bilhões em 2019. Para este ano, a expectativa é chegar a um faturamento de US$ 159 bilhões em 2020, o que representa um crescimento e torno de +9,3% em relação ao ano anterior. Até 2023, estima-se que este mercado ultrapasse a cifra dos US$ 200 bilhões em receitas. Em todo o planeta, estima-se que 2,7 bilhões de pessoas sejam “gamers”, nas mais diversas categorias.

A América Latina deve ter o segundo maior crescimento de Gaming no mundo, com +10,3%, e faturamento de US$ 6 bilhões, seguida pela África e Oriente Médio, que deverão registrar os maiores crescimentos do setor no ano, em +14,5%, e um faturamento de US$ 5,5 bilhões.

Mercados mais maduros crescerão menos, mas faturarão bem mais, como a Ásia-Pacífico, com US$ 78,4 bilhões em receitas (+9,9%), América do Norte com US$ 40 bilhões em faturamento (+8,5%) e Europa, com US$ 29,6 bilhões em 2020 (+7,8%), segundo dados da Newzoo.

Deixe uma resposta