O MEU PÉ DE LARANJA LIMA EM QUADRINHOS

O MEU PÉ DE LARANJA LIMA EM QUADRINHOS

 

O clássico da literatura brasileira ganha novo formato, quase que “cinematográfico”. As aventuras de Zezé são narradas em ritmo de suspense e emoção. A obra é exclusiva da Editora Melhoramentos e já foi publicada em 23 países.

Qualquer história, contada no universo dos quadrinhos, ganha uma “roupagem visual” e encanta os leitores, ávidos por novidades. Estamos falando sobre o clássico da literatura brasileira Meu Pé de Laranja Lima, escrito por José Mauro de Vasconcelos e que está sendo lançado pela Melhoramentos em HQ. A obra está disponível também nas versões impressa e digital. O preço é R$ 45,00.

As descobertas, perdas e diversões de um menino de aproximadamente seis anos, o Zezé, detalham os processos que toda criança vive, até chegar à vida adulta. O garoto viveu tempos difíceis, mas também repletos de experiências valiosas. “Por se tratar de uma narrativa que acontece em um período histórico mais recente, o leitor vai se identificar com os personagens, os ambientes e as situações, já que os pais ou avós de muitos deles vivenciaram coisas semelhantes. Principalmente se moraram fora de grandes cidades”, diz Franco de Rosa, que fez a adaptação da história para o universo HQ. “A quadrinização desse clássico apresenta um universo crível e nada fantasioso, como acontece com a grande maioria das outras histórias em quadrinhos”, completa Rosa. O roteiro é de Luiz Antônio Aguiar, autor consagrado pelo prêmio Jabuti e os desenhos são de Arthur Garcia.

A pobreza da família, o trabalho infantil, o perdão e a dor da perda são abordadas numa linguagem visual, fazendo uma alusão ao formato do cinema. Zezé, entre grandes traquinagens e enormes surras, ganha carinho de uma das irmãs e faz amizades marcantes. Uma delas é com Minguinho, o pé de laranja lima, que conversa com Zezé como um irmão mais velho, carinhoso, generoso, cúmplice. A outra comprova a capacidade imensa de amar do menino, que o leva a abrir (ou iluminar) a vida do até então solitário e ranzinza Portuga. Um enredo que poderia retratar a vida de muitas crianças no Brasil.

Para chegar ao resultado que se vê no livro/HQ, foi necessário à equipe ler a obra original, o roteiro e pesquisar os ambientes, além de desenhar esboços dos personagens e buscar referências de imagens dos locais nos quais transcorrem as ações. “A narrativa visual e a dinâmica das sequências dos quadros foram realizadas buscando o tipo de quadrinhos do século 21: cinematográfico. O roteiro de Luiz Aguiar, por sua vez, foi estudado para que cada final de página despertasse ainda mais a atenção do leitor, para criar um ritmo constante de suspense e emoção”, detalha Franco da Rosa.

Meu Pé de Laranja Lima já foi publicado em 23 países e traduzido em 15 idiomas. Nesses cinquenta anos, a obra, exclusiva da Melhoramentos, vendeu mais de dois milhões de exemplares só no Brasil e teve 150 edições nos mais variados formatos. E agora passa pela experiência de ganhar uma nova roupagem. Nos últimos 15 anos, os clássicos da literatura brasileira em quadrinhos foram redescobertos e se transformaram em um novo atrativo do gênero. “A alegria e a tristeza não poderiam estar mais bem combinadas do que nestas páginas. E isso, se não explica, justifica a popularidade imensa alcançada pelo livro”, destaca o escritor Luiz Antonio Aguiar.

A edição, que comemora o centenário do autor José Mauro de Vasconcelos, veio para ampliar o catálogo da coleção Clássicos em Quadrinhos. O Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima BarretoO Alienista, de Machado de Assis e o Ateneu, de Raul Pompeia já estão disponíveis. As adaptações fazem parte do currículo de Luiz Antônio Aguiar: estão na lista Machado de Assis, Lima Barreto e José de Alencar.

Deixe uma resposta